• 01/07/2021

    Vamos falar sobre autoconhecimento?

    Artigos | Compartilhar:

    “Se você não sabe quem você é, o mercado financeiro é um lugar caro para descobrir.” 
    (George Goodman)

    Precisamos refletir sobre um dos temas mais clichês discutidos pelos pensadores da educação financeira versus controle emocional: O autoconhecimento. Iniciaremos a reflexão do tema a partir do questionamento feito por Sigmund Freud, o pai da psicanálise, que faleceu se fazendo a seguinte pergunta, pouco antes do câncer consumir sua vida: por quê as pessoas buscam a infelicidade?

    No livro “O mal estar na civilização”, escrito em 1930, Freud especula que, mesmo vivendo em meio a ciência, religião e arte, que são formas de sublimação do sofrimento, os seres humanos não conseguem o contentamento, permanecendo eternamente insatisfeitos. Isso ocorre porquê existe um desencontro brutal entre nossas atitudes e nossos desejos.

    Em resumo, nós fazemos o tempo todo coisas que não gostamos, muitas vezes por imposição da cultura, do modelo econômico vigente, da sociedade ou da família, o que torna a busca pelo bem-estar uma meta distante.

    Porém, existe uma forma de darmos o primeiro passo rumo a esta meta: o autoconhecimento. Uma das missões mais difíceis do ser humano é colocar em prática a famosa ideia socrática do “conhece a ti mesmo”. A maior parte das pessoas não tem a menor ideia de quem seja, por uma razão muito simples: somos seres extremamente complexos, e estamos em constante mutação ao longo da jornada da vida.

    Conhecer quem somos, nossos anseios, sonhos, angústias, o que nos faz feliz e triste, o que nos gera prazer e repulsa, e não menos importante, conhecer nossos limites, é a chave profissional e pessoal. 

    É importante que a gente reflita sobre nossa rotina, sobre nossas ações, sobre o que sentimos em todas as situações. O autoconhecimento é nada mais do que o ato de trazer para a consciência tudo o que está dentro de nós. É o alinhamento racional do que pensamos com o que queremos, dos nossos desejos e necessidades.

    Sem este alinhamento, fica muito mais difícil alcançar a satisfação profissional e pessoal, e consequentemente, conquistar o ativo mais valioso da vida: a felicidade.

    A Criptomaníacos conta com o serviço de psicologia para investidores, a fim de que você possa identificar com clareza qual é o seu perfil e aprender como lidar com o dinheiro de forma mais saudável e vantajosa. Para conhecer mais sobre o serviço, basta entrar em contato clicando aqui.

    Artigo escrito por Mariana Sant, psicóloga financeira da Criptomaníacos.

    VOLTAR
    Autor: Felipe Mendes
Hover protuguês Hover inglês Hover youtube Hover telegram Hover instagram Hover facebook Hover twitter