image
image

28/07/2022

Roadmap do Ethereum: conheça o The Merge, Surge, Verge, Purge e Splurge

Vitalik Buterin, co-fundador do Ethereum, participou recentemente de conferência anual promovida pela comunidade do projeto na França.

Entre outros assuntos, falou sobre as atualizações que a ainda virão a ser implementadas na rede.

Em primeiro lugar, está o The Merge, que visa modificar o algoritmo de consenso da rede. No entanto, ainda haverá uma série de outras atualizações que ocorrerão em fases.

Dessa forma, Vitalik Buterin nomeou as demais fases rimando com a primeira.

As principais atualizações previstas no roadmap do Ethereum são:

  • Merge;
  • Surge;
  • Verge;
  • Purge;
  • Splurge.
Roadmap Ethereum

The Merge

Primeiramente, há a atualização conhecida como The Merge. Essa é, de fato, a atualização mais conhecida para a rede e que levanta mais discussões entre os usuários.

A atualização consiste, basicamente, em mudar o algoritmo de consenso da rede Ethereum do Proof-of-Work (PoW) para o Proof-of-Stake (PoS) e com isso reduzir drasticamente o consumo de energia elétrica.

Dessa forma, elimina-se figura dos mineradores, que são os atuais responsáveis pela validação das transações na rede e, com isso, recebem Ethers (a criptomoeda da rede Ethereum) como recompensa.

O argumento principal é o da economia energética. Com a transição do modelo de recompensa, há um consumo de energia muito menor.

Essa mudança está cada vez mais próxima e pode significar uma grande mudança no mercado cripto, uma vez que o Ethereum é uma das principais altcoins do mercado.

The Merge

The Surge

Em segundo lugar, está o The Surge, que é a fase que conta com documentação mais avançada, visando aumentar a escalabilidade da rede através de Shardings.

Esse processo consiste na fragmentação de uma base de dados (no caso a Blockchain), devendo ocorrer em meados de 2023 segundo a Ethereum Foundation.

Assim, com tal fragmentação, os validadores não precisarão mais armazenar todos os registros da Blockchain, mas sim tornar parte dos dados que lhe forem delegados disponíveis para o restante da rede como um todo.

Os Shards, porém, em um primeiro momento não serão responsáveis pela validação e execução de transações ou contatos inteligentes.

No contexto atual do Ethereum, o processo de Shardings funcionará de forma sinergética com os rollups de segunda camada, que processam e agrupam transações em uma rede paralela.

Assim, é possível reduzir a quantidade de dados que essas redes precisam lidar, tornando seu trabalho mais rápido, barato e escalável.

Por fim, é esperado que os Shards, operando em conjunto com as rollups de segunda camada, possibilitem que um dia sejam executadas até 100.000 transações por segundo na rede Ethereum.

Esse é, de fato, um incremento bastante expressivo quando comparado com o número atual de apenas 15 a 20.

Esse processo vai ser acompanhado de perto por nós da Criptomaníacos através de nossos conteúdos no YouTube.

The Surge

The Verge

Além disso, a fase conhecida como The Verge visa aumentar a descentralização, permitindo que mais usuários possam rodar um node e se tornarem validadores da rede Ethereum.

Isso será possível através da implementação dos Verkle Trees, um tipo de prova matemática usada para verificar se uma determinada transação está contida em um bloco, de forma computacionalmente mais eficiente que o atual sistema de Merkle Trees.

Dessa forma, o uso das Verkle Trees em conjunto com os Shardings da fase anterior tornará mais fácil e barato para que usuários rodem um node de Ethereum.

Isso porque, uma vez que também será exigida menor capacidade de armazenamento em seus computadores, será possível aumentar a descentralização da rede – pois mais computadores poderão rodar um node.

Sendo assim, o Ethereum se torna um ativo mais seguro e pode caber dentro de um portfólio com maior aversão ao risco, por exemplo.

The Verge

The Purge

Há, ainda, o The Purge, que envolve a exclusão de dados com idade superior a 1 ano da Blockchain que já não sejam mais úteis ou necessários para o funcionamento da rede (incluindo tecnologias obsoletas após inúmeras atualizações).

Com isso é esperada uma sincronização mais rápida dos nodes com a Beacon Chain (camada de consenso da rede após “The Merge”).

Essa atualização acaba permitindo assim transações mais rápidas, além de também exigir menores requisitos para um usuário se tornar validador, uma vez que não será necessário armazenar uma cópia completa de toda a história do Ethereum.

Portanto, até mesmo investidores de longo prazo podem ver esse projeto como um bom investimento – mesmo aqueles que não fazem trade e preferem estratégias mais simples como o Dollar Cost Averaging.

The Purge

The Splurge

Por fim o The Splurge, que Vitalik definiu como “todas as outras coisas divertidas”. Essa fase consiste em menores atualizações e melhorias à rede.

Essa é uma fase com atualizações pontuais que permite que o Ethereum continue com um crescimento sustentável e de longo prazo.

No entanto, ainda carecendo de maiores especificações, alguns itens da lista incluem: planos para aumentar a resistência da rede à computação quântica, tornar as transações mais rápidas e eficientes, além de simplificar o funcionamento do Ethereum após tantas atualizações.

Essa estratégia de melhoria contínua pode chamar a atenção de muitos investidores, que podem considerar que vale a pena comprar um pouco de Ether desde que façam o gerenciamento de risco apropriado.

Você quer se informar sobre o mercado cripto e não tem tempo de acompanhar as notícias? Clique aqui e assine o Telescópio Cripto, nosso relatório mensal gratuito sobre criptomoedas:

Ethereum 2.0:
O Futuro da
Ethereum Pós-Merge

Entenda o passado, presente e futuro da segunda maior criptomoeda.

Saiba mais

Telescópio Cripto

Assine nossa newsletter e ganhe acesso GRÁTIS à plataforma Criptomaníacos. Cursos, ebooks, tutoriais e muito mais!

Assine agora

Somos mais de500k500kCriptomaníacos


YoutubeInstagramTiktokTelegram

Todos os direitos reservados